Economia

IBGE: serviços precisam crescer 10,8% para atingir patamar de fevereiro, diz Lobo

14.10.2020

O setor de serviços precisa crescer mais 10,8% para retornar ao patamar de fevereiro, pré-pandemia. A recuperação será lenta e gradual, e pode não ocorrer ainda este ano, avaliou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“É uma taxa que é bastante significativa ainda, crescer 10,8%. Nos três últimos meses serviços cresceram 11,2% e à medida que tem um acúmulo de taxas positivas, torna-se mais difícil crescer sobre uma base de comparação maior. As próximas taxas talvez percam um pouco de fôlego”, previu Rodrigo Lobo nesta quarta-feira (14).

Apesar do avanço de 2,9% em agosto ante julho, os serviços ainda operavam 9,8% abaixo do patamar de fevereiro de 2020. “A pandemia ainda está presente na memória das pessoas. Ainda vai levar um tempo para que haja as condições adequadas para que o setor de serviços volte a operar no patamar de fevereiro. Ainda tem algum tempo até lá, talvez em 2020 a gente ainda não veja isso”

Os serviços prestados às famílias estão 41,9% aquém no nível pré-pandemia, precisando crescer 72,2% para chegar ao patamar de fevereiro de 2020. Os serviços de informação e comunicação operam 2,5% abaixo do patamar de fevereiro, enquanto os serviços profissionais e administrativos estão 13,7% aquém. Os transportes operam 11,1% abaixo do pré-pandemia, e o segmento de outros serviços está 1,1% aquém.

Entre os subsetores, alojamento e alimentação operam 43,9% abaixo do pré-pandemia e precisam crescer 78,3% para recuperar as perdas do período. Já o transporte aéreo está 52,8% aquém do pré-pandemia e deve crescer 112,1% para resgatar o que foi perdido.

“Ainda que tenhamos observado uma flexibilização da quarentena, e alguns estabelecimentos tenham voltado a funcionar, ainda tem restaurantes e hotéis funcionando de forma limitada. Há ainda restrição operacional de hotéis e restaurantes, eles operam com capacidade limitada. Há limite de oferta de prestação de serviços e há ainda assim um receio significativo por parte das famílias de voltar a consumir serviços turísticos”, ressaltou Lobo.

Fonte: Estadão Conteúdo

newsletter-img

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail. Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita. Inscreva-se e receba a newsletter

Posts relacionados

Economia

Netflix lança loja online como nova fonte de receita

Uma das maiores empresas de streaming agora quer desbravar o mundo do e-commerce. A Netflix abriu na quinta-feira, 10, sua primeira loja online com produtos de séries e filmes, a netflix.shop. Criado em parceria com a empresa de tecnologia Shopify, o site está recebendo compras nos EUA. Ainda não há data para lançamento da loja […]

12/06/2021

Economia

Senado ameaça MP que permite venda da Eletrobras

O Senado aumentou a reação à medida provisória que abre caminho para a privatização da Eletrobras, maior empresa de energia da América Latina, e ameaça derrubar a proposta – aposta do governo federal para desencadear o processo de capitalização da estatal com foco em geração e transmissão. Em reunião nesta sexta-feira, 11, com o presidente […]

12/06/2021

Economia

Preço da energia elétrica pode ter novo reajuste

Diante de uma seca histórica nos principais reservatórios de usinas hidrelétricas e do risco de um novo racionamento no País, o governo estuda criar uma nova faixa, mais cara, no sistema de bandeiras tarifárias da conta de luz ou elevar o valor já cobrado hoje no patamar mais alto – a bandeira vermelha 2. O […]

12/06/2021