Economia

Abinee: falta de componentes gera atrasos em mais fábricas de eletroeletrônicos

22.04.2021

Apesar de alguns sinais de melhora no abastecimento das fábricas, a indústria de eletroeletrônicos continua enfrentando dificuldade na compra de materiais para a fabricação de produtos como celulares, notebooks e TVs. Ao mesmo tempo, crescem os registros de atrasos de produção por falta de componentes eletrônicos.

Sondagem feita no mês passado pela Abinee, entidade que representa o setor, mostra que o porcentual de empresas com estoques de peças e matérias-primas abaixo do normal caiu de 31%, marca registrada no levantamento de fevereiro, para 23%.

Do total de empresas, 66% ainda relatam dificuldades na aquisição de insumos, um número alto, porém inferior aos 73% da sondagem anterior. Papelão, necessário para as embalagens dos produtos, materiais plásticos e componentes eletrônicos importados da Ásia são os itens em que os fabricantes de eletroeletrônicos encontram maior dificuldade de abastecimento.

Houve redução, de 10% para 5%, no número de fábricas obrigadas a paralisar parte da produção por falta de componentes eletrônicos. Por outro lado, a insuficiência desse item, decorrente da escassez global de chips, está causando atrasos de produção em mais empresas.

Segundo a sondagem, obtida com exclusividade pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), 42% estão com produção e entregas atrasadas por falta de componentes eletrônicos no mercado. No mês anterior, tais atrasos aconteciam em 35% dos associados da Abinee.

A saída para contornar a falta de componentes eletrônicos tem sido procurar fornecedores alternativos no Brasil e no exterior, mesmo a maior custo, além de compras emergenciais em distribuidores independentes, antecipação de pedidos a fornecedores, uso de frete aéreo para encurtar prazos de entrega e, até mesmo, a produção própria dos componentes.

Mesmo assim, as empresas relatam grande dificuldade de encontrar o material, já que há alta dependência dos fornecedores de componentes eletrônicos internacionais, sobretudo da Ásia.

Fonte: Estadão Conteúdo

newsletter-img

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail. Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita. Inscreva-se e receba a newsletter

Posts relacionados

Economia

Superávit da balança comercial na 2ª semana de setembro é de US$ 1,399 bi

A balança comercial brasileira registrou superávit comercial de US$ 1,399 bilhão na segunda semana de setembro. De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira, 13, pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, o valor foi alcançado com exportações de US$ 5,379 bilhões e importações de US$ 3,980 bilhões. Em setembro, a balança comercial […]

13/09/2021

Economia

Ana Paula Pessoa substituirá Ilan Goldfajn no Credit Suisse

A executiva Ana Paula Pessoa foi escolhida para ocupar a partir de janeiro a presidência do conselho do Credit Suisse no Brasil, cargo ocupado pelo ex-presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. O economista está deixando o banco suíço após dois anos como presidente do conselho, de saída para o Fundo Monetário Internacional (FMI), onde vai […]

13/09/2021

Economia

Equipe econômica está aberta a 'outros modelos' para precatórios, diz Bittencourt

O secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, disse que a equipe econômica está aberta a “outros modelos” que solucionem a questão do grande volume de precatórios a ser pago em 2022. Em evento da Genial Investimentos nesta segunda-feira, ele defendeu que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) enviada pelo governo ao Congresso Nacional é a […]

13/09/2021